Dicas de Viagem

Vancouver – Aventura e cultura num só lugar

Para quem gosta da mistura orgânica entre natureza e cidade, vai achar em Vancouver um lugar para chamar de seu! Com lindas paisagens em todas as estações, a cidade consegue atrair pelas belas praias no verão e pelos esportes na neve no inverno.

Charmosas construções arquitetônicas também fazem parte do roteiro dessa cidade, que vai desde prédios modernos com museus e rica cultura até passeios para observar e curtir os bairros mais tradicionais com seus encantadores parques.

Com habitantes etnicamente bastante diversos, a cidade ocupa posição de terceira maior do país e o turismo é um dos fortes chamarizes. Além disso, a honestidade e pureza estão intrínsecos na cultura. Não se espante se perder o ticket do estacionamento, por exemplo, e o atendente pedir para você pagar apenas as horas que permaneceu no local.

 

Passeios ao ar livre

No verão, onde os dias são mais longos e o sol se põe altas horas, é incrível aproveitar longas caminhadas pelos parques. Stanley Park, por exemplo, é a jóia verde de Vancouver. Lá, você aproveita trilhas para caminhadas, jardins floridos e lagoas. Uma das atrações mais populares é a coleção de totens no Brockton Point. Visite também o Granville Isaland, onde os visitantes podem entrar nos mercado repletos de produtos frescos, comprar artesanatos, experimentar restaurantes e assistir a peças teatrais.

Se você gosta de parques orientais, tire uma manhã para conhecer The Dr. Sun Yat-sen Classical Chinese Garden, um jardim chinês clássico e o Nitobe Japanese Garden 6565, um jardim botânico com mais de 10 mil espécies de plantas, flores e árvores.

Na parte urbana da cidade, visite o Vancouver Art Gallery que abriga a famosa “arte da costa oeste”, além de artistas locais, exposições de esculturas, fotografias e vídeos. Não perca o Canadá Place, uma estrutura que parece um barco a vela gigante e aproveite para fazer um passeio pelas redondezas conhecendo pontos históricos.

No distrito histórico onde Vancouver foi fundada, em 1867, há lojas de suvenires para turistas e o famoso relógio a vapor que expele fumaça nas horas cheias e toca música. Outros museus imperdíveis são o Museum of Anthropology e o H.R. MacMillan Space Centre, um centro espacial com exposições interativas.

 

“Parque Nacional das Montanhas Rochosas”


Se aventura está no seu DNA não perca Parque Nacional Banff, nas Montanhas Rochosas canadenses. O parque cobre uma área de 6.641 km² e contém mais de 1.600 quilômetros de trilhas, além de ser ideal para prática de montanhismo, campinismo, trekking, golfe, esqui. Lá, você também encontra outras atrações mais relaxantes como banhar-se em fontes termais ou apenas apreciar belas paisagens e inúmeros animais selvagens, como ursos pardos e negros, alces, veados, cougars, lobos, carneiros selvagens, caribus, renas, coiotes, linces, marmotas, etc.

Aproveite para se desafiar no  Capilano Suspension Bridge caminhando por uma estreita e instável ponte a 69 metros preso apenas por cordas.

 

Esqui na neve

Existe também a opção do Grouse Mountain, que sempre foi considerado o melhor destino de esqui, mas desenvolveu nos últimos anos atrações esportivas ao ar livre. A montanha fica apenas 15 minutos de carro do centro e tem um teleférico de 1.110 metros. Em dias claros, a vista é impagável.

 

Barcelona e Antoni Gaudí

Além de ser uma cidade muito parecida com o Rio de Janeiro, Barcelona guarda uma peculiaridade inigualável em todo o mundo: a arquitetura de Antoni Gaudí. Inspirado pelo estilo gótico e usando traços naturais em sua arte, o arquiteto é um grande ícone para quem visita a cidade. Suas principais obras são:


Parque Güell

Aproveitar uma manhã de sol para caminhar pelo Parque Güell faz toda a diferença na viagem. A salamandra (ou dragão) da escadaria principal é um dos símbolos da arquitetura de Gaudí e orgulho para os catalães. Todo o parque tem formas inspiradas na natureza através de formas arredondadas e geométricas. Cada pedaço é coberto por mosaicos de cerâmica ou vidro, captando cores e formas únicas e irreproduzíveis.

Além da escadaria principal, o Viaduto do Museu, O Calvário e muitos outras partes do parque, dois lugares merecem destaque: a Praça Principal com uma vista para boa parte da cidade e a Sala Hipóstia com suas colunas tortas e mosaicos no teto. Aproveite para ouvir os músicos que sempre tocam por ali enquanto aprecia como a luz penetra na estrutura.


Casa Batlló

O prédio, reformado pelo arquiteto a pedido de Batlló, é um dos principais pontos turísticos da cidade e fica situada no centro da cidade, no Paseo de Grácia. O prédio também é chamado de A casa dos Ossos por causa da fachada que lembra um crânio paa alguns.


Casa Milá

Também conhecida como La Pedrera, a Casa Milà não tem uma linha reta em toda sua estrutura. Vale a pena entrar para ver a exposição do museu interno (paga), perceber a iluminação natural do pátio interior e as esculturas da cobertura que são cobertas por mosaicos e tem em suas formas o clássico design quase sonhador.


Sagrada Família

Ainda não finalizada, a Sagrada Família é uma catedral católica. Mas não pense que visitar esse prédio é uma experiência religiosa. Dica: chegue cedo, pois as filas para entrar geralmente são longas.


Outras obras de Gaudí

Casa Vicens (1878-1880)

Capricho de Gaudí (1883)

Palácio Güell (1885-1889)

Colégio de Santa Maria de Jesus (1889-1894)

Palácio Episcopal de Astorga (1889-1913)

Santa Coloma de Cervelló (1898-1915)

Casa Calvet (1899-1904)

Orfila, Canoas (1850-1982)

Maragogi – AL

Céu de brigadeiro, mar azul-esverdeado, recifes coloridos, uma vida marinha intensa, tranquilidade, boa comida e preços ótimos. Foi o que encontrei em Maragogi, cidade que fica entre Recife e Maceió e que faz jus a fama de Caribe brasileiro.

A cidade tem praias lindas e extensos coqueirais. Mas o que faz de Maragogi o segundo pólo turístico de Alagoas são suas piscinas naturais, as Galés – piscinas rasas em alto mar, a seis quilômetros da costa. O passeio é feito de Catamarã, são cerca de 20 vinte minutos em alto mar pra chegar aos arrecifes de coral. A visibilidade é incrível e permite observar a beleza e as cores dos peixes e corais. Um Passeio delicioso e emocionante.

Os passeios de buggy pelas praias também são excelentes, na baixa temporada praticamente desertas se não fossem os pescadores e suas jangadas coloridas. No roteiro não pode faltar a praia de São Bento, vila de pescadores, onde famílias fazem artesanalmente o famoso bolo de goma, um biscoito de polvilho doce em forma de conchas que vale a pena ser provado.

Um pequeno charme no Canadá


Viajei ao Canadá em junho de 2009 e percorri o país de leste a oeste. Dentre muitas lembranças, uma cidadezinha próxima à Niagara Falls se destaca pelo seu charme e simplicidade. Niagara-on-the-Lake é mais conhecida pela produção de um vinho especial, chamado Ice Wine, exclusivo desta região. Mas a cidade em si, já é muito atraente. Casas em estilo vitoriano, flores espalhadas pelos canteiros, charmosos postes de luz e jardins, comércio movimentado e um delicioso ar bucólico. Ideal para passar a tarde depois de visitar as Cataratas do Niagara.

Boa viagem!

Natalia Nahu


A mais antiga praça de Paris

A Place des Vosges é um lugar de belas fontes e residências em estilo renascentista. A praça, uma das mais belas de Paris (e até mesmo do mundo!), foi projetada em 1605 em uma simetria perfeita, com nove casas de cada lado. Rodeada de árvores e grama, é uma ótima opção para relaxar e observar a arquitetura da região, que foi residência de muitas pessoas famosas como o escritor Victor Hugo e também cenário de uma série de acontecimentos históricos. Atualmente, a encantadora Place des Vosges é cercada por lojas, restaurantes e hotéis, e faz parte da rota turística de Paris, recebendo muitos visitantes por dia.

Alkmaar: uma tradição nas terras holandesas


Se o seu próximo destino for Amsterdam, recomendamos um passeio até Alkmaar, uma pequena cidade que abriga um tradicional mercado de queijo holandês. O mercado acontece nas manhãs de sexta-feira durante as estações de primavera e verão (abril a setembro). A excursão dura cerca de quatro horas, tempo suficiente para apreciar a tradição medieval da vila, onde os produtores expõem, pesam e oferecem seus queijos para degustação. A Waagplein fica lotada de turistas, que observam atentamente as pessoas com chapéus coloridos carregando os queijos Gouda e Edam. O passeio termina com uma parada em um moinho de vento muito típico da Holanda.

GBOND travel solutions
Av. Rio Branco, 156 sala 2207 - Centro
Rio de Janeiro - RJ - 20040-003
Tel / Fax: +55 21 2524-6260